You Are Art é uma exposição dirigida a todos e estará patente no piso 1 e 2 do Braga Parque, até 31 de agosto.

Foi criada por um núcleo de “artistas urbanos” dedicados a intervir em espaço público e a interagir diretamente com a população. Formou-se uma trama expositiva que envolve os visitantes do Braga Parque na Arte Urbana Contemporânea Portuguesa.

Tal como a arte urbana, esta exposição adapta-se ao local e aos visitantes do Braga Parque. A exposição vai ocupar o espaço público do centro comercial com cores, formas, significados e histórias para que as pessoas possam ter uma experiência cultural enquanto visitam o nosso shopping.

Como o Braga Parque é um símbolo da cidade, é importante que ajudar na recuperação do sentido humanístico da população, depois de uma pandemia que confinou o país e parou uma grande parte do sector cultural português. E é daí que surge o título YOU ARE ART , porque ninguém foi feito para estar fechado entre quatro paredes, confinado em casa. Nós somos a rua, o convívio, os concertos e as exposições, a cultura.

NÓS SOMOS ARTE.

Amplie o mapa e saiba onde se encontram as instalações artísticas dentro do Braga Parque.

 

Biografia dos artistas:

 

André da Loba
Através de um jogo de palavras, o artista André da Loba, apresenta Walk in the Park, uma instalação artística na escadaria principal do Braga Parque. Sendo o Braga Parque um símbolo da cidade, o artista procurou trazer para o centro comercial um pouco da cidade que o acolhe, Braga, transformando o local da sua instalação numa floresta/parque onde as pessoas vão por lazer.

 

 

Kruella d’Enfer
Flower4 são 5 ilustrações compostas por uma seleção deflora dos jardins de Braga, mais especificamente no Jardim de Santa Bárbara. Neste sentido a artista representa a flora da região, levando-a ao Braga Parque. Algumas das flores e plantas são as Perpétuas Roxas, os Dentes de Leão, as folhas de Sequoia, o Lírio, as Tulipas, a Costela de Adão, entre outras diversas espécies autóctones. Também existiu a preocupação de representar elementos que vão ao encontro da natureza que envolve a Serra do Gerês.

 

 

Francisco Fonseca
Esta instalação, desenhada por Francisco Fonseca, representa 17 dos edifícios mais emblemáticos da cidade, trazendo ao Braga Parque uma visão jovem, mas ao mesmo tempo tradicional, da cidade que o acolhe. O artista desenhou esta instalação como um jogo, onde os visitantes são convidados a identificar os monumentos representados . No final da instalação estão presentes e identificados todos os monumentos, possibilitando aos visitantes confirmar as suas respostas, ou a aprender o nome dos monumentos.

 

 

KR.US
Bracarenses apresenta-se como um trabalho artístico que tem como conceito representar Braga, as suas pessoas, os seus elementos arquitetónicos, a sua natureza, o seu ambiente e a sua história. A artista Krus traz as representações de três personalidades, com o objetivo de as homenagear: Maria Ondina Braga, Francisco Sanches e S. Martinho de Dume. A seleção de cores foi feita em função da juventude e energia vibrante que transmitem e que se vive nas ruas de Braga e no Braga Parque.

 

 

Los Pepes Studio
You are Art é uma instalação dirigida a todos os públicos, que se faz acompanhar de uma mensagem que numa primeira leitura é bastante impactante e direta para o visitante. YOU AREART ‘gritado’ chama a atenção para a instalação que agora existe no espaço e que acolhe o público dirigindo-se a ele. Numa leitura mais aprofundada esta mensagem deve ser compreendida como um ‘statement’ de como nós não fomos feitos para estar fechados entre quatro paredes, confinados em casa. NÓS SOMOS ARTE.

 

 

mynameisnotSEM
O artista mynameisnotSEM, através da sua linguagem colorida e geométrica, apresenta uma instalação tridimensional, onde explora o espaço, a sua perceção e as sensações que pretende transmitir. Uma viagem por ritmos musicais, através da conjugação de formas geométricas e cores pop, serve de convite para o público passear pela sua intervenção, experienciando-a e sentido-a. Path Finder leva um cenário imaginado ao Braga Parque, servido de impulso à criatividade do público, e à sua visão da instalação.

 

 

Mariana PTKS
Bracara Cosmica representa uma visão onírica de um vale minhoto, vendo para além do visível, deixando que a imaginação povoe o aparente vazio de um céu profundamente estrelado. Ao longe, o Santuário no cimo do monte, com a sua imponente cúpula, vigia quem vagueia pela imensidão da noite procurando desvendar os segredos escondidos pelo luar. Um convite para sentar um pouco numa pedra ao pé do rio, e tirar um momento para contemplar e meditar. A artista apresenta uma instalação tridimensional convidando o público a fazer parte da mesma.

 

 

Nuno Alecrim
Origem fala de umas das mais antigas cidades europeias, Braga. Na obra mistura-se a linguagem do artista com a história de Braga e o universo gráfico do consumismo moderno. Na instalação temos um epicentro, de onde tem origem várias culturas e povos. É desse epicentro que os manequins vão nascer, levando com eles fragmentos dessas culturas. A obra é baseada na história de Braga, assim como no universo gráfico das embalagens e comunismo de uma era moderna. Desta forma, o passado e o presente encontram-se num só espaço.